Adelaide Calhman de Miranda

 

É doutora em Literatura e Práticas Sociais pela Universidade de Brasília. Na mesma universidade, obteve os títulos de Arquiteta e Urbanista e Mestre em Teoria Literária.


Contato: adelaidecalhman@gmail.com

 

Currículo Lattes 

 

Projeto de Pesquisa

Pensar o local: gênero e espaço urbano na narrativa brasileira contemporânea 
Esta pesquisa tem como objetivo analisar a relação entre gênero e espaço urbano na literatura brasileira contemporânea de autoria feminina. Nas oito narrativas que compõem o corpus, as protagonistas se deslocam pelas cidades enquanto negociam suas presenças nas ruas e nos espaços públicos em geral. Do mesmo modo, a autoria feminina questiona implicitamente os pressupostos de um cânone ainda predominantemente branco, masculino e eurocêntrico. Para uma crítica literária feminista, interessa investigar o teor crítico das representações de personagens femininas nos espaços urbanos, no sentido da desconstrução ou da manutenção da opressão patriarcal. Para estudar a construção da identidade feminina nas cidades, foram utilizadas teorias de várias áreas do conhecimento, como teoria de gênero, geografia feminista, teoria queer, teorias literárias contemporâneas, estudos sobre migrações e diásporas, entre outras. Dessa forma, busca-se saber como e se as narrativas contribuem para um novo conceito de espaço, mais dinâmico, heterogêneo e inclusivo.

 

Textos

Desterritorialização, refabulação e a cidade literária em movimento em Coisas que os homens não entendem, de Elvira Vigna 
 

O espaço literário queer em "Mi Buenos Aires querido", de Cíntia Moscovich, e "Triunfo dos pelos", de Aretusa Von

Gêneros indefinidos e corpos inadequados revelam ideal feminino inatingível, em Deixei ele lá e vim, de Elvira Vigna

 

Abscesso na cidade: desencontro, violência e esquecimento em Bandoleiros, de João Gilberto Noll