A escrita dos vestígios em Ana Miranda

 

Berttoni Licarião

Em “A escrita dos vestígios”, Berttoni Licarião apresenta uma abordagem da obra de Ana Miranda que se distancia do viés crítico do romance histórico para dar destaque às práticas intertextuais e ao trabalho com a linguagem de outras épocas. Tendo em vista a complexa sobreposição de discursos que caracteriza o romance “Dias e dias”, o autor traz à tona os pontos de tensão entre o texto de Miranda e suas fontes declaradas: a fortuna crítica, a biografia e a poesia de Gonçalves Dias. Insere, com isso, o romance no rastro de uma tradição de releituras da "Canção do exílio" que percorre mais de 150 anos de história da literatura brasileira, do Romantismo à contemporaneidade. Uma perspectiva de leitura que coloca a obra de Ana Miranda no centro dos debates sobre intertextualidade e paródia sem perder de vista a vasta produção da autora e seu lugar na literatura contemporânea.