Laetícia Jensen Eble 

É doutora em Literatura e Práticas Sociais pela Universidade de Brasília. É editora assistente da revista estudos de literatura brasileira contemporânea. No doutorado, junto à linha de pesquisa sobre representação na literatura contemporânea, desenvolveu seu trabalho acerca da literatura marginal/periférica com uma tese intitulada Escrever e inscrever-se na cidade: um estudo sobre literatura e hip-hop. No mestrado, junto à linha de pesquisa sobre literatura e outras artes, defendeu uma dissertação intitulada Imagens convergentes: os anônimos de Oswaldo Goeldi e Luiz Ruffato.

Contato: laeticia.jensen@gmail.com

Currículo Lattes

Projeto de pesquisa 

Atualmente, integra a equipe do projeto intitulado Fora do retrato, no meio da história: a Brasília contada pelas periferias, coordenado pela professora Regina Dalcastagnè. O projeto pretende identificar, inicialmente entre os artistas que frequentam os saraus e slams das periferias de Brasília, diferentes projeções sobre a cidade – relatos urbanos que redesenham seus contornos. O objetivo principal é ampliar o acesso ao mosaico de narrativas que constroem o imaginário da capital federal, incorporando a literatura produzida por mulheres, negros, trabalhadores, moradores de periferia. Além de uma espécie de cartografia dessa produção, o projeto propõe a criação de um site informativo e a publicação de uma antologia de textos. O aporte teórico será amplo e multidisciplinar, conforme exigência do próprio objeto de estudo, e a experiência acumulada do Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea, da UnB, na pesquisa das poéticas populares e de periferia será aproveitada para dar contexto à discussão.

Textos 

Literatura marginal/periférica e hip-hop: um olhar sobre a voz poética de Zinho Trindade

A literatura brasileira e a permanência do cânone na academia

 

“A responsa de mudar o mundo com a ponta de uma caneta”: considerações sobre o rap nacional

 

(Auto)biografias urbanas : percursos possíveis pela literatura marginal

 

Imagens convergentes: os anônimos de Oswaldo Goeldi e Luiz Ruffato