a crítica literária em periódicos

O projeto propõe o mapeamento e a análise da crítica literária acadêmica produzida no Brasil nos últimos quinze anos, a partir da investigação de artigos publicados em periódicos reconhecidos e representativos da área. Será observado, especialmente, como a literatura brasileira (e, ainda mais especificamente, a literatura brasileira contemporânea) é trabalhada nessas revistas, o que permitirá um conhecimento mais profundo tanto sobre a crítica no meio universitário quanto sobre os mecanismos de legitimação do campo literário brasileiro.

 

Pretende-se identificar quais as correntes mais presentes, os autores de referência, as obras mais citadas. Entendendo que os estudiosos de literatura no Brasil não formam um corpo monolítico, mas possuem uma razoável pluralidade interna, os dados levantados devem permitir não apenas uma comparação diacrônica, mas também incluir elementos que possibilitem comparações sincrônicas, segundo critérios de geração, região, instituição de origem e gênero, entre outros.

A publicação em periódicos é, hoje e já há bastante tempo, o principal instrumento de divulgação do conhecimento, em todas as áreas do saber. Apesar dos desafios apresentados pelas novas plataformas tecnológicas, em particular a internet, que exigem uma adequação de suas práticas, as revistas acadêmicas continuam sendo o canal por excelência de escoamento da produção intelectual das universidades. Os próprias periódicos, por sua vez, encontram-se hierarquizados, por meio de rankings formais ou informais, que são objeto de disputas e que atribuem importância e prestígio diferenciados a cada um deles.

O peso da crítica universitária é visível na definição e redefinição do cânone passado, mas é ainda mais crucial no que diz respeito à produção literária contemporânea. Para obras que ainda não possuem um lastro de crítica e camadas de interpretações acumuladas, a atenção oferecida pelos acadêmicos representa um capital importante. Justamente por isso, analisar os artigos produzidos sobre literatura contemporânea nos periódicos acadêmicos é uma via promissora para entender aspectos da configuração atual do campo literário brasileiro.

A pesquisa objetiva entender as configurações da crítica literária acadêmica no Brasil nos últimos quinze anos, a partir da análise de artigos publicados em periódicos reconhecidos e representativos da área. Será observado, especialmente, como a literatura brasileira (e, ainda mais especificamente, a literatura brasileira contemporânea) é trabalhada nessas revistas. Como resultado desse esforço, espera-se obter um grande mapeamento da produção dos estudos literários brasileiros no período de 2000 a 2014, o que permitirá um conhecimento mais profundo tanto sobre a crítica no meio universitário quanto sobre os mecanismos de legitimação do campo literário brasileiro.

Para isso, foram selecionadas, inicialmente, dez publicações com certa tradição e bem classificadas no ranking mais importante do mundo acadêmico brasileiro, o Qualis da CAPES, segundo sua última atualização, ocorrida no início de 2012. Devido ao imenso número de revistas de Letras, optou-se por trabalhar apenas com aquelas que obtiveram nota A1 – tendo em vista que a nota reflete a abrangência, a circulação, a periodicidade, em suma, a relevância da revista na área. Além disso, o recorte buscou as publicações cujo interesse fosse, de fato, a literatura (ainda que algumas alternassem seus números entre literatura e linguística). E, uma vez que há, neste projeto, a preocupação de se entender como a literatura brasileira vem sendo trabalhada no meio acadêmico, evitou-se revistas com foco exclusivo em literaturas estrangeiras.

A ideia inicial era abarcar periódicos de todas as regiões do país. No entanto, Norte e Nordeste não possuem, até o momento, nenhuma revista classificada como A1 no Qualis Capes. Sendo assim, optou-se por incluir as duas revistas das Associações da área (ABRALIC e ANPOLL) no seu lugar, compreendendo que elas reúnem, necessariamente, produções das diferentes regiões. Surge, então, o problema do Sudeste, região com algumas das mais importantes universidades do país e com elevado número de periódicos com nota A1. Decidiu-se incluir duas revistas de cada um dos três principais Estados da região: Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Para evitar a repetição das mesmas instituições, foram selecionadas uma revista da capital e outra do interior de cada Estado. Também houve a preocupação em selecionar periódicos que já estivessem, é claro, em atuação desde antes de 2000.

Foram selecionadas, portanto, as seguintes revistas:

Do Sudeste:

  • Minas Gerais: (UFMG) e (UFJF)

  • Rio de Janeiro: (UFF) e (UFRJ)

  • São Paulo: (USP) e (Unesp-Araraquara)

Do Sul:

  • Rio Grande do Sul: (PUC-RS)

Do Centro-Oeste:

  • Distrito Federal: (UnB)

Das Associações:

  • Revista da ANPOLL e Revista Brasileira de Literatura Comparada

Espera-se que a pesquisa possa contribuir para o aprofundamento da investigação sobre a crítica literária no Brasil, em uma perspectiva que contempla tanto a o universo acadêmico quanto a discussão sobre a esfera de produção de sua legitimidade (o “campo literário”); uma compreensão mais rica e mais complexa da movimentação da crítica literária brasileira, que permita não apenas uma comparação diacrônica, mas também comparações sincrônicas, segundo critérios de geração, região, instituição de origem e gênero, entre outros e a consolidação de um espaço de interlocução interinstitucional sobre a crítica literária no Brasil contemporâneo.