Meninas negras no romance afro-brasileiro

 

Maria Aparecida Cruz de Oliveira​

A partir da análise da representação das meninas negras em Um defeito de cor, de Ana Maria Gonçalves, e Becos da memória, de Conceição Evaristo, a pesquisadora Maria Aparecida Cruz de Oliveira desenvolve o argumento de que esses romances são espaços de produção de um outro pensamento, uma vez que apontam outros trajetos para a criação literária, outras formas de conceber o estético, de pensar a crítica literária, de refletir sobre o próprio romance. A figuração das meninas negras seria, assim, um modo poético de apresentar a resistência da mulher negra, que recusa o lugar de corpo objetificado e sai em busca de letramento e liberdade. Escrever passa a ser, então, uma ação política, uma atitude estética de reinserção no mundo social.