Paloma Vidal

 

É escritora, tradutora e professora de Teoria Literária da Universidade Federal de São Paulo. Publicou os ensaios A história em seus restos: literatura e exílio no Cone Sul (Annablume, 2004) e Escrever de fora: viagem e experiência na narrativa argentina contemporânea (Lumme Editor, 2011) e as ficções A duas mãos (7Letras, 2003, contos), Mais ao sul (Língua Geral, 2008, contos, publicados em espanhol pela editora Eterna Cadencia) e Algum lugar (7Letras, 2009, romance). Traduziu, entre outros autores, Margo Glantz, Clarice Lispector e Pierre Péjou.


Contato: palomavidal@yahoo.com

 

Mantém o blog http://www.escritosgeograficos.blogspot.com. 

 

Currículo Lattes
 

Projeto de pesquisa

Uma maneira de imaginar: língua e herança em Sergio Chejfec e Roberto Raschella
A pesquisa propõe uma reflexão acerca de um tipo específico de memória relacionado à imigração, a partir de duas narrativas argentinas contemporâneas: Lenta biografía (1990), primeiro romance de Sergio Chejfec (1956), e Diálogos en los patios rojos (1994), primeiro romance de Roberto Raschella (1930). O foco serão os narradores-filhos dessas narrativas e a maneira como aparece nos seus textos um trabalho com a memória a partir dos rastros de algo duplamente perdido: porque a lembrança é de outro e porque esse outro já se sente ele mesmo órfão de sua memória. A hipótese é que esse trabalho se dá como uma maneira de imaginar, ligada aos modos de transmissão falhada de uma herança. Isto é, por um lado, encontramos em cada uma das narrativas diferentes modos de transmissão de um legado; por outro, nos dois casos, trata-se de um legado cujos rastros a imaginação persegue, mas nunca recupera totalmente. A pesquisa buscará refletir sobre a maneira como esse rastreamento fica marcado na língua, constituindo poéticas singulares. 

 

Textos
A língua de Fogwill

 

A literatura fora de si: escrita e alteridade em Tununa Mercado
 

Escrita, memória e alteridade em Las genealogías, de Margo Glantz