I Jornada de Crítica Literária: Rawet em Diálogo

Brasília – Universidade de Brasília – 7 de outubro de 2016

Auditório do Instituto de Letras (ICC Sul, Subsolo, Sala 99)

Coordenação geral: Stefânia Chiarelli (UFF), Anderson da Mata (UnB), Rosana Kohl Bines (PUC-Rio) e Regina Dalcastagnè (UnB)

Comitê científico: Sylvia Helena Cyntrão (UnB), Ana Claudia da Silva (UnB) e Cintia Schwantes (UnB)

Apoio à organização: Paula Dutra e Ligia Diniz

Direção de arte: André Stephan

Organização: Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea

A I Jornada de Crítica Literária: Rawet em Diálogo coloca em destaque a obra do escritor judeu-polonês-brasileiro Samuel Rawet. No ano de 2016, comemoram-se sessenta anos do livro de estreia de Rawet. Em 1956, o autor publicava Contos do imigrante, volume que traz para o centro do debate literário brasileiro a figura do imigrante judeu e da experiência de radical estrangeiridade que irá reverberar ao longo de toda a sua obra. Aliada à novidade temática, Rawet  também trazia à prosa brasileira uma dicção estranhada. Na orelha da primeira edição do livro, o crítico Fausto Cunha valorizava o estilo hermético, a linguagem sincopada, a trama fugidia, a marcação teatral de cenas, os planos alternados entre realidade e memória, entre outras "dificuldades" que se impunham ao leitor habituado "à narrativa fácil e fluente da maioria de nossos contistas". De fato, a percepção de um acento marcadamente dissonante e inovador na escrita rawetiana se tornará um mote retomado com frequência na fortuna crítica da obra nesses últimos anos. Nota-se, contudo, que tal avaliação carece ainda de estudos comparativos que ajudem a situar e a discutir a obra de Rawet na série literária brasileira, seja em relação à escrita de seus contemporâneos, seja no cotejo com obras mais recentes, capazes de redimensionar a atualidade da escrita rawetiana, a partir de novas bases. 

 

Diante da necessidade não só de rever, mas também de apresentar a obra de Rawet a novos leitores, o evento se propõe a criar uma interlocução ampliada entre pesquisadores de longa data e jovens pesquisadores. Nesse sentido, visamos reunir pesquisadores dispostos a: 1) reavaliar perspectivas críticas e propor novas aproximações à obra; 2) desenvolver abordagens comparativas que ensejem a interface da obra rawetiana tanto com a de seus contemporâneos quanto com a de autores atuais que dialoguem com a temática e/ou a dicção do autor; 3) abrir frentes de diálogo entre a obra e outras artes e linguagens, como o cinema, as artes plásticas, a arquitetura, o teatro, a fotografia, a música. 

 

Página Facebook do evento: http://bit.ly/2cJM1yS 

PROGRAMAÇÃO

Inscrição para ouvintes

8h - 8h45

 

Abertura

8h45

Diálogos literários (9h às 12h30)

Mesa 1 

9h às 11h

Mediação: Paula Dutra (UnB) 

1)Porque não fechar os livros de Rawet? (Rosana Kohl Bines ― PUC-Rio)

2)Rompendo o cerco da frase encantatória: o avesso do simbólico em Rawet (Ligia G. Diniz - UnB)

3)Jonhy Golem ou uma escrita imponderável de Samuel Rawet (Lyslei Nascimento ― UFMG)

Mesa 2 

11h15 às 12h30

Mediação: Graziele Frederico (UnB)

4) Lendo Samuel Rawet no Ensino Médio: uma introdução aos desafios do texto literário (Patricia Lilenbaum ― IFRJ)

5)Meshugá - um romance sobre o auto-ódio (Jacques Fux ― UFMG)

Cidade, paisagem, espaço

14h30 às 18h

Mesa 1 

14h30 às 16h30

Mediação: Anderson da Mata (UnB)

1)A escrita como abrigo: Samuel Rawet e a experiência urbana (Regina Dalcastagnè ― UnB)
2) Recalques da criação (Graça Ramos) 
3) Representar, ser representado, ver-se representado – a imagem do estranho na obra de Samuel Rawet (Saul Kirschbaum ― USP)

Mesa 2 

16h45 às 18h

Mediação: Rosângela Lopes (UnB)

4)Paisagens sonoras de Rawet (Stefania Chiarelli ― UFF)
5)A percepção do espaço urbano em Samuel Rawet: diálogos interartísticos (Michel Mingote - UFMG)

ORGANIZAÇÃO

ORGANIZAÇÃO

APOIO